Proteína promete revolucionar a odontologia para pacientes com perda óssea

Menos invasiva, a proteína reduz em 80% o tempo de recuperação dos procedimentos


A recuperação é rápida e sem dor e a novidade garante mais segurança ao paciente - Stock
A recuperação é rápida e sem dor e a novidade garante mais segurança ao paciente
Pessoas com perda óssea podem contar com uma nova proteína que promete revolucionar a odontologia e os enxertos feitos a partir de banco de ossos e extração do osso do próprio paciente. Pouco conhecida no país, a proteína óssea morfogenética tipo 2 (BMP-2) é uma substância capaz de induzir a transformação das células tronco com intuito de realizar a neoformação óssea, possuindo essa capacidade por se unir a específicos receptores das células tronco e transformá-las em células ósseo formadoras.
Menos invasiva e descartando a internação, a proteína reduz em 80% o tempo de recuperação dos antigos procedimentos. Daniel Vasconcellos, da Clean Clinica, que já utiliza a proteína em seus procedimentos reforça o diferencial desta técnica.

— As BMPs são fundamentais para a formação óssea e o desenvolvimento do esqueleto ósseo. Além disso, a proteína pode ser utilizada com segurança e previsibilidade quando há necessidade de reparação óssea — resume.
A perda óssea acontece por inúmeros fatores, o mais comum é a falta de higiene bucal que acarreta em inflamação crônica na gengiva e que dependendo do caso, avança para a raiz. Para resolver este problema, o procedimento mais comum é o enxerto ósseo na região afetada.
A solução ainda usada na maioria dos consultórios odontológicos é o enxerto ósseo autógeno, feito através de materiais artificiais, banco de ossos, que são ossos/tecidos/órgãos doados por pessoas falecidas, ou com ossos do próprio paciente, obtido de outra região da boca ou o osso da bacia, chamado osso ilíaco.

Porém, este procedimento requer internação hospitalar, além de causar desconforto durante a remoção e aplicação, aumentando a morbidade da cirurgia e o desconforto pós-operatório, que pode durar em torno de seis meses.
 — A ciência dedica-se a buscar alternativas efetivas e menos invasivas na reconstrução da estrutura óssea perdida e a BMP é a melhor solução. Menos invasiva e com uma recuperação rápida e sem dor, a novidade garante mais segurança ao paciente comparado aos riscos do banco de ossos e os procedimentos cirúrgicos —conclui Vasconcellos.

FONTE:   http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&section=Segundo+Caderno&newsID=a3288106.xml

4 comentários:

Ministério disse...

Olá, blogueiro (a),

Salvar vidas por meio da palavra. Isso é possível.

Participe da Campanha Nacional de Doação de Órgãos. Divulgue a importância do ato de doar. Para ser doador de órgãos, basta conversar com sua família e deixar clara a sua vontade. Não é preciso deixar nada por escrito, em nenhum documento.

Acesse http://doe.vc/mq e saiba mais.

Para obter material de divulgação, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br

Atenciosamente,

Ministério da Saúde
Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/minsaude

lina disse...

Por favor você saberia me indicar um dentista que faz esse tipo de serviço.Qual cidade?
Obrigada

lina disse...

Boa Noite!

Por favor você pode me indicar um dentista que faz esse tratamento?

Qual cidade?

Obrigada

lina disse...

Por favor você saberia me indicar um dentista que faz esse tipo de serviço.Qual cidade?
Obrigada