PSORÍASE PODE EVOLUIR PARA A DEPRESSÃO...SEGUNDO ESTUDO

#UnidosSomosMaisFortes

7 de agosto de 2016

Um estudo coordenado pelo Hospital das Clínicas da USP de Ribeirão Preto mostra que a psoríase pode levar o paciente a manifestar sintomas de depressão e fobia social, por tentar esconder a doença e a aparência que ela causa. Isso porque a doença normalmente ocorre em áreas visíveis, como cotovelos, joelhos, mãos, couro cabeludo e unhas. A psoríase é uma doença crônica que torna a pele seca, com manchas avermelhadas que escamam e, em alguns casos, chegam a sangrar.



“Por acontecer muito nos locais mais visíveis, a psoríase incomoda muito e essa visibilidade leva ao isolamento social, podendo evoluir para depressão”, disse a coordenadora da pesquisa, que também é coordenadora do ambulatório de psoríase do Hospital de Clínicas da USP, Cacilda da Silva Souza.

Também pode afetar as articulações. 

O estudo aponta que a doença causa comprometimento articular em 41% dos casos. Além disso, pacientes com psoríase têm maior risco de ter doenças associadas, como diabetes.

A pesquisa contou com 300 pacientes das regiões Norte, Sudeste e Sul do Brasil com psoríase e indicou também que 63,7% dos participantes têm a qualidade de vida impactada negativamente pela doença. 

Destes, 63,1% apresentam sintomas associados à dor e mal-estar, 54,1% têm sinais de ansiedade e depressão e 44,6% tiveram diminuição de função física. 

O estudo foi estruturado para medir a prevalência da síndrome metabólica e artrite psoriásica em pacientes com psoríase, em diferentes estágios da doença.

A psoríase não é uma doença contagiosa, mas os pacientes tentam esconder das pessoas suas marcas. 

Afeta tanto homens quanto mulheres e acredita-se que a hereditariedade pode exercer algum papel para seu surgimento.

Há fatores genéticos. 

Quem tem familiar de primeiro grau tem maior risco de desenvolver a doença. Mas a psoríase também está ligada a fatores externos, como estresse, infecções e medicações. A maioria dos pacientes disseram que as manchas e a doença em geral piora com o estresse”, afirmou Cacilda Souza.

Essa é uma doença que afeta cerca de 125 milhões de pessoas em todo o mundo, que não tem cura, mas tem tratamento. 

Pode ocorrer em pessoas de todas as idades, mas geralmente aparece entre os 15 e 30 anos – sendo que 30% dos pacientes podem desenvolver artrite psoriásica, que combina os sintomas de duas doenças autoimunes, a própria psoríase e a artrite reumatoide, ambas incapacitantes.

Postar um comentário