RIO GRANDE DO SUL ALCANÇA 18 MORTES POR GRIPE A EM 2016

#UnidosSomosMaisFortes


22/04/2016

Em 2009, epidemia da Gripe A fez pessoas elevarem proteção no Estado.

Os novos dados de registro de incidência de gripe A no Rio Grande do Sul mostram que já são 18 mortes pela doença até o dia 20 deste mês, sendo que 17 pelo vírus da Influenza A (H1N1) e um por Influenza A (não subtipado). 

São até agora 44 casos registrados de Gripe A, sendo 43 do tipo H1N1. 

Em 2015, não houve nenhum registro de morte causada pelo Influenza A (H1N1) e nem infectados. 

Os três doentes contraíram Influenza A (H3N2) - dois e B - um. A comparação ocorre sobre o mesmo período de registros.

Em todo o período de incidência de 2015, foram nove mortes (seis por H1N1). O mesmo vírus provocou 12 dos 25 óbitos de 2014. 

Porto Alegre lidera em número de mortes este ano, com seis do total e todos por A (H1N1), que chegou em 2009 ao Brasil, gerando grande alarde e a acabou sendo enquadrado como epidemia. 

Foram mais de 4 mil casos e cerca de 300 mortes. 

Outra informação que eleva o nível de alerta: os óbitos de H1N1 se concentram em pessoas acima de 40 anos, 10 das mortes. 

Depois vem o grupo até 30 anos (seis óbitos), e dois com 35 anos. 

O relatório da Secretaria Estadual da Saúde (SES), divulgado na manhã desta sexta-feira (22), indicou que 11 dos que morreram não haviam feito a vacina em 2015 (três com mais de 60 anos, população que é público-alvo e tem vacina de graça).

A vacinação começa nesta segunda-feira (25) nos postos de Porto Alegre e já começou em muitas cidades do Interior. 

Outras cidades com mortes, todas com um caso, são Arroio do Sal, Cachoeira do Sul, Carazinho, Erechim, Flores da Cunha, Frederico Westphalen, Novo Hamburgo, Santa Rosa, Tapera, Tucunduva, Uruguaiana e Vacaria. 

Postar um comentário