IDOSOS QUE TEM O HÁBITO DE DORMIR À TARDE TÊM MAIS CHANCES DE SOFRER QUEDAS

08/01/2012


Cerca de 26% dos idosos brasileiros já sofreram quedas.


Fisioterapeuta vê relação entre ocorrências e sintomas de insônia noturna na terceira idade.


Aquele cochilo que muitos idosos dão durante o dia merece um olhar mais cuidadoso por parte dos profissionais de saúde, principalmente quanto à frequência e duração do hábito. O alerta é do fisioterapeuta Alexandre Alves Pereira, que encontrou uma relação significativa entre sintomas de insônia, cochilo diurno e ocorrência de quedas em idosos.

Pesquisa realizada na Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp cruzou informações do banco de dados do Estudo Fibra — Fragilidade em Idosos Brasileiros, por meio do qual foram entrevistados 689 idosos em Campinas. A ocorrência de quedas nessa população atingiu 26,2%, sendo que 11,87% sofreram duas ou mais quedas. Segundo Pereira, levando em consideração as consequências físicas e psicológicas que o episódio ocasiona em pessoas de mais idade, a porcentagem deve ser observada com atenção.

— As quedas representam um grave problema de saúde pública na população idosa, configurando uma síndrome clínica com impacto significativo sobre a qualidade de vida — destaca Pereira, lembrando que entre as complicações está o risco de fraturas, além do medo de cair novamente, bem como o risco de internação e morte.

A pesquisa buscou o número de idosos que respondia positivamente a uma das questões que evidenciam a presença de sintomas de insônia. São elas: dificuldade ao iniciar o sono, dificuldade em manter o sono, despertar precocemente ou dormir mal durante a noite. O estudo buscou ainda identificar os idosos que respondiam afirmativamente sobre o costume de cochilar durante o dia e aqueles que apresentaram quedas nos últimos 12 meses. Na sequência, o fisioterapeuta fez o cruzamento de todos os dados e indicou as associações que, segundo ele, são pouco exploradas na literatura científica.

— Acredito que a pesquisa abre um caminho para se avaliar o impacto das intervenções nas queixas e hábitos relativos ao sono na velhice visando à prevenção de eventos adversos — afirma o fisioterapeuta.

O profissional explica ainda que são vários os fatores que levam o idoso a cair. Por isso, são relevantes as pesquisas cujo foco são aspectos que podem estar relacionados a esta ocorrência e, assim, ampliar as estratégias de prevenção. Nesse sentido, o estudo indica a necessidade de avaliação mais criteriosa da qualidade do sono e suas consequências para o idoso, pois podem revelar piora na condição de saúde e declínio funcional.

2 comentários:

jane e carlos disse...

Oi ANDRE,nossa e verdade ,o Carlos dorme durante o dia e A NOITE LEVANTA A CADA DEZ MINUTOS...teve quedas consideraveis,e so uma obs. voce sabe que ele tem alzheimer e não e idoso ele e jovem 53 anos.Já havia notado que as quedas dele são depois do famoso cochilinho,mas impossivel não deixa-lo,hoje mesmo ele caiu da cama assim sem nenhuma outra causa.
Amigo sempre estou visitando seu Blog,so não sabia que tem que estar logado para fazer comentarios! Agora ja aprendi e sempre que puder estarei participando ,pois e de grande ajuda pra mim...bjs e boa semana !

André Ponce disse...

Oi Jane!! Faz uma experiência,de tentar manter o Carlos acordado durante o dia,por uma semana,e ve se melhora,inclusive o sono da noite. Bjs e tudo de bom pra vcs!!