POTIGUAR SONHA COM OURO NO MÉXICO

23 de Outubro de 2011


A nadadora potiguar Edênia Garcia ficou conhecida pela sua garra.

 No último dia 15 de setembro foi divulgada a lista de atletas convocados para os Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara (México). A nadadora Edênia Garcia Nogueira, de 24 anos, é uma das representantes do Brasil e o Rio Grande do Norte na competição. Dentre os convocados, o nome dela aparece entre os que mais têm chances de trazes medalhas para o nosso país. Edênia começou no esporte por orientações médicas, mas foi por incentivo de um dos seus grandes ídolos, o colega de equipe da natação brasileira, Francisco Avelino, que ela fez da natação a razão do seu sucesso. A atleta possui uma distrofia muscular progressiva, chamada de polineuropatia sensitiva motora, que resulta em dificuldades de movimentação das pernas e das mãos.

Duas horas por dia de treinamentos na piscina e musculação três vezes na semana. Esta é a rotina de Edênia Garcia, que viaja na próxima quarta-feira para San Luis de Potosi, também no México, para se adaptar fisiologicamente à altitude. Os jogos começam no próximo dia 12 de novembro e se estendem até o dia 20, e a atleta se foca nos treinos nesta reta final para chegar bem na competição.

DEDICAÇÃO

Dedicada ao esporte desde os 12 anos de idade, Edênia Garcia afirma estar acostumada com a vida de treinos. Em 2011, a equipe brasileira de natação leva ao Parapan 39 atletas, que almejam retornar com os títulos de primeiros colocados no quadro geral, e no esporte aquático, este último conquistado pelo Canadá nos jogos Parapan-Americanos do Rio de Janeiro.

Edênia competirá nas provas de 50, 100 e 200 metros livres, além dos 50 metros costa. A atleta conta que sua maior adversária é a mexicana Nelly Miranda. "Mas eu venho treinando forte e quero trazer as medalhas para o Brasil", disse a nadadora.

"O meu corpo já não é mais o mesmo, a cabeça também não, e jamais vivenciamos da mesma maneira qualquer coisa na vida. De uma coisa estou certa: será uma experiência extraordinária novamente". Edênia Garcia está ansiosa para os jogos e acredita que voltará bons resultados.

O mais difícil para a para-atleta será a saudade de casa. "Até o momento, vou sozinha para Guadalajara. Estamos tentando conseguir patrocínio para eu poder levar algum familiar comigo, mas ainda não obtivemos êxito", contou. A pessoa de quem mais sentirá falta é a mãe, que lhe acompanha diariamente nos treinos. "A gente sempre sente saudade, mas com a rotina de competições, acabamos nos acostumando, apesar de ser difícil ficar longe de casa e da minha mãe", completou.

Londres 2012

Tricampeã mundial dos 50m costas da classe S4 - venceu em Mar Del Plata (Argentina), em 2002, em Durban (África do Sul), em 2006, e em Eindhoven (Holanda), em 2010 -, Edênia foca suas atenções para o ciclo que culmina com os Jogos Paraolímpicos de Londres, em 2012.

Nas duas últimas edições da competição, ela foi prata nos 50m costas em Atenas, em 2004, e bronze nos 50m livre, em Pequim, em 2008. Em 2010, se tornou a primeira mulher a ser tricampeã mundial paraolímpica, e, no mesmo ano, foi eleita a melhor atleta paraolímpica pelo Comitê Paraolímpico Brasileiro e pelo Comitê Olímpico Brasileiro. No Rio Grande do Norte, Edênia Garcia já é apontada como um verdadeiro fenômeno das piscinas e estrela da natação estadual.

2 comentários:

Drika Sanz disse...

Que bom saber dessa história... ela está de parabéns!!!

André Ponce disse...

Sim Drika,com certeza já é uma vencedora!!!